no blog na web

14 Idéias para Delimitar Espaços Integrados


     Olhem só que bacana as idéias da revista Casa e Construção UOL sobre espaços integrados. Ideal pra quem mora em pequenos espaços!

      Espero que vocês curtam! ENJOY IT!
 
      A proposta pode ser de união completa, mas às vezes é preciso demarcar as funções de cada ambiente. Para isso, é essencial ter criatividade. Selecionamos soluções bem diferentes – uma delas cabe no seu projeto!



1 Sanca com iluminação

       O recorte no gesso acima das portas de vidro percorre a sala de estar de ponta a ponta. A iluminação é feita com spots e lâmpadas halógenas, proporcionando uma luz amarelada. A sanca menor abriga xenon (lâmpada incandescente preenchida com um gás com duração de 30 mil horas). “Dependendo do tipo de iluminação, os ambientes podem ficar mais isolados ou integrados, por causa da absorção de luz pelo vidro jateado”, diz o arquiteto responsável pelo projeto luminotécnico Guinter Parschalk.



2 Folhas de vidro
       Usada para separação da sala de jantar e do living principal, a porta é composta por quatro folhas de correr (158 cm x 270 cm cada) de vidro temperado laminado com desenho acidato. “O objetivo principal da separação dos ambientes foi manter, quando necessário, certa privacidade à sala de jantar, especialmente quando a mesa está sendo posta, ou após as refeições”, diz Thais Dick, que projetou a residência juntamente com seu sócio, o também arquiteto Patrick Hüppi, do escritório rd2b. As quatro folhas possibilitam diversas formas de abertura, ou o fechamento total. 


 
3 Pisos diferentes

       Na sala de lareira o piso é de madeira cumaru. No mesmo espaço, um living mais formal que abriga um piano tem o revestimento de pastilhas brancas (Vidrotil). Entre os dois ambientes há uma faixa de vidro que demarca essa transição. A mudança dos materiais de acabamento delimita visualmente cada espaço no projeto da arquiteta Jamile Helou. A arquitetura também ajuda nessa função com o pilar estrutural e a diferença da altura do pé-direito em cada ambiente.
      A proposta pode ser de união completa, mas às vezes é preciso demarcar as funções de cada ambiente. Para isso, é essencial ter criatividade. Selecionamos soluções bem diferentes – uma delas cabe no seu projeto!




4 Painel de concreto

       O painel recortado de alvenaria faz a divisão do estar e jantar com o home theater, separando parcialmente a área social do apartamento de 200 m². Por ser estrutural, a parede não pôde ser completamente removida na hora da integração dos espaços e a solução foi fazer um recorte na alvenaria. “Quem visita o apartamento pensa que se trata de uma escultura. A viga baixa de 1,90 m impediu que fizéssemos um salão totalmente integrado, então sugerimos uma solução criativa que o proprietário adorou”, dizem os arquitetos Bárbara Bratke e Orlando França. A estrutura metálica por dentro da armação foi preenchida com concreto e pigmento preto na massa. As laterais têm passagem livre. 




5 Vigas estruturais
       As salas de jantar e estar completamente integradas tem seus espaços delimitados pelas vigas estruturais de madeira do tipo vagão. Elas ficam aparentes no teto e percorrem os ambientes de ponta a ponta no projeto do escritório Forte, Gimenes e Marcondes Ferraz. No piso, acompanhando as vigas, e também delimitando ambientes, há faixas de madeira pequiá certificada.




6 Lareira

      Dividindo os ambientes, a lareira pode ser usada nos dois espaços. O elemento ajuda a demarcar as salas e é uma solução prática encontrada pelos arquitetos, já que a casa é envolta por vidros e, portanto, seria inviável construir a lareira apoiada em uma das paredes. O elemento é feito de aço corten e possui base de concreto resinado.



7 Alturas do teto
       A casa projetada em um terreno acidentado foi construída em dois blocos que possuem alturas distintas. “Essa diferença determinou também soluções internas e pudemos brincar com os tetos sem ter de trabalhar com gesso”, conta a arquiteta Ana Rita Sousa e Silva. Na sala de estar, o pé-direito é de 2,70 m até a laje, e na sala da lareira ele vai até 3,3 m. Nessa parte, a estrutura de madeira pintada de preto do telhado fica aparente e há um forro de esteiras de bambu trançado.


8 Meia parede

       O pequeno apartamento de 30 m² precisava de espaços unidos para ganhar amplitude. A arquiteta Karina Afonso juntou sala e cozinha e delimitou os espaços com meia parede que suporta a bancada. Com 3,2 m², a cozinha é divida por uma parede de drywall com nicho para prateleiras, e uma bancada serve de apoio para ambos os ambientes. “Por ser um espaço pequeno, todos os cantos precisam ser aproveitados. O nicho serve para guardar objetos e dar leveza ao fechamento”, explica à profissional. Os espelhos no fundo dos nichos provocam a sensação de profundidade.




9 Mobiliário

       O pequeno apartamento é completamente integrado no projeto do arquiteto David Bastos. Sala, cozinha e jantar ocupam a mesma área e cada ambiente tem sua função demarcada pelos móveis. A mesa de refeições é voltada para a cozinha e encosta no sofá que divide o espaço de jantar do estar. O piso também tem papel importante nessa limitação de espaços: a cozinha recebe um deque de madeira e os demais ambientes são revestidos com marmoglass branco.

 


10 Painel para a tevê

       No mesmo projeto do arquiteto David Bastos, a suíte é parcialmente separada do restante do apartamento por um painel de alumínio. Ele serve de fundo para a estante da sala e também faz às vezes de parede para a tevê do quarto. Todo o cabeamento fica embutido no painel. A estrutura tem 1,50 m de largura e 2,50 m de altura e a espessura é de apenas 5 cm.
 


11 Persiana

       Quarto e banheiro se comunicam, mas podem ficar isolados quando for conveniente. A sugestão do arquiteto Glen Finch é delimitar os espaços por um vidro fixo em formato “L” com esquadria de alumínio preto e persiana de madeira. “Eu queria a persiana nesse material para combinar com o ofurô, deque e piso, mas tive de tingi-la para que o tom chegasse perto dos outros elementos”, justifica Finch.

 


12 Desníveis

       Estar e jantar foram construídos em alturas distintas por causa do desnível do terreno, mas eram isolados por uma parede de alvenaria. Na reforma executada pelas arquitetas Beth Bailly e Juliana Queiroz, da Space Planning, a divisão veio a baixo e agora um degrau delimita os espaços. “Enquanto fazemos as refeições na sala de jantar, mesmo sentados, temos a vista privilegiada da mata preservada do lado de fora”, explica Beth. No piso, o cimentício da Solarium foi preenchido com uma faixa de pastilhas de vidro (Vidrotil), que forma, também, uma divisão visual.

 


13 Trilhos para porta de correr
       Todas as paredes do térreo foram demolidas e os ambientes sociais se unem ao jantar e à cozinha. Contornando o espaço de preparo das refeições, a arquiteta Graciela Piñero instalou trilhos e contornos que permitem a abertura ou o fechamento de uma porta de correr de madeira ripada, que pode ser escondida na alvenaria.



14 Cores diferentes

       O apartamento tem os ambientes predominantemente brancos e integrados. Para delimitar as funções de cada espaço, os arquitetos Gustavo Pimenta, Cláudia Pimenta e Patrícia Franco se valeram das cores. A parede principal da sala de estar foi pintada com tinta acrílica da Coral (ref.: Mousse de Uva em acabamento Toque Sublime). “Apenas trabalhando com cores, conseguimos diferenciar os ambientes sem a necessidade de grandes intervenções. Na parede oposta, por exemplo, utilizamos papel de parede emoldurado com painéis de madeira”, finalizam.
 



Fonte: http://revistacasaeconstrucao.uol.com.br
Texto: Renata Cattaruzzi

0 comentários:

Postar um comentário

 

Dircenéia Moterani

Atuante na área de decoração e artes, é uma das mais requisitadas e experientes profissionais de Varginha. Lança mão de recursos como luz, cor e materiais diversos, para obter uma disposição harmoniosa dos objetos no espaço.